Por Carolina Durães
14/01/2019 20:19:46 | Atualizada em

Três sambistas mulheres serão a voz de suas escolas na Sapucaí em 2019

“Será se elas aguentam cantar o desfile inteiro?”. O país de Clara Nunes e Elza Soares ainda faz essa pergunta ao se deparar com a notícia de que três mulheres vão conduzir, como vocalistas principais,  as escolas de samba na Sapucaí em 2019. São elas  Grazzi Brasil , do Paraíso do Tuiuti, Larissa Luz, na São Clemente  e Juliana Pagung, na acadêmicos da Sossego, que batem o recorde de mullheres na Avenida como voz principal do samba-enredo. No total, serão 14 agremiações nos desfiles o que mostra com as vozes femininas ainda são minoria.  

A protagonista do musical Elza, indicada ao Grammy Latino e ex-vocalista da banda Ara Ketu, a baiana Larissa Luz, estreará na São Clemente.  A capixaba Juliana tem uma década de experiência na Sapucaí e será a primeira voz na Sossego em 2019. Grazzi, paulistana do Butantã que tem longa carreira no samba, já passou o carnaval se dividindo entre a Vai Vai de São Paulo e pela Tuiuti do Rio de Janeiro, conta que é difícil, mas é preciso garra. “É muito difícil. Homens e até mulheres duvidam da gente. Tudo acontece para que você se sinta pequena: piadinhas, críticas, comentários ácidos nas redes sociais. Tem que ter garra, se não eles nos derrubam. Mas sou geniosa. Levanto a cabeça, canto e nem ligo mais para isso”.

Conheça as histórias mais inspiradoras de mulheres como você, que conquistaram seu espaço de trabalho, com muita luta e amor pelo que fazem.