Por Carolina Durães
11/01/2019 17:27:23 | Atualizada em 12/01/2019 22:32:25

Pelo direito de envelhecer em paz


A polêmica da semana é sobre o direito de envelhecer.  A apresentadora Xuxa Meneghel publicou uma foto em que aparece sem maquiagem e com alguns aparentes fios de cabelos brancos à mostra e, embora tenha recebido elogios de muitos fãs, não foi poupada de comentários agressivos que questionavam sua a beleza por causa das “marcas da idade”. 

Não é a primeira vez que Xuxa recebe esse tipo de críticas na internet. Com 55 anos anos, a apresentadora enfrenta o caminho à velhice com bom humor e visão realista – e também com uma necessária dose de resiliência.
 
Já repercutiram na imprensa e nas redes sociais várias respostas afiadas dadas por ela. “Estou velha, sou velha, aceite que dói menos pra você. Daqui a seis anos posso estacionar em lugar de idosos e você também irá envelhecer. Claro, se não morrer cedo”, retrucou Xuxa.

Em outras situação, ela já enquadrou um seguidor que a chamou se velha:  “Eu, sua mãe, sua avó, todo mundo que não morrer vai ficar velha”.

Mas , por que nós mulheres não temos o direito de envelhecer em paz?  Se a ideia da velhice já é penosa para um anônimo, pode ganhar contornos dramáticos a uma celebridade sempre associada à beleza perfeita. Ainda que possa, eventualmente, exagerar na naturalidade com que enfrenta o envelhecimento diante do olhar público, Xuxa presta relevante serviço às mulheres.

Ela foge de dois extremos igualmente tóxicos: a tentativa obsessiva – às vezes patológica – de manter uma aparência jovem ‘para sempre’ (como se isso fosse possível) e a demagogia de quem jura nunca se importar com a proliferação de rugas e vincos provocados pelo avanço do tempo.

Xuxa assume a transformação física de maneira honesta. Usa maquiagem, mas também se deixa fotografar de cara limpa, sem medo das críticas. Ela não se coloca como vítima da perda de juventude nem faz apologia das ‘maravilhas do envelhecimento’.


 

Conheça as histórias mais inspiradoras de mulheres como você, que conquistaram seu espaço de trabalho, com muita luta e amor pelo que fazem.