Por jornal Meio Norte
23/01/2019 19:01:06 | Atualizada em 25/01/2019 08:58:41

Bia Magalhães é vítima de gordofobia nas redes sociais

A cantora e compositora Bia Magalhães, vocal da banda Bia & Os Becks, sofreu agressões virtuais por conta do próprio peso. Através da rede social twitter, um suposto humorista comparou a estrutura do palco com o peso da cantora, que se requebrava em um vídeo repostado pelo autor. O tweet ofensivo foi publicado na noite de segunda-feira (21).

“Hoje eu sofri 'gordofobia'. De maneira gratuita uma pessoa fez uma 'piada' sobre o meu peso. De graça. Sem me conhecer, sem saber se eu era uma pessoa que tem atos ruins ou bons”, é o que revelou a vocalista da banda Bia e Os Becks, Bia Magalhães, em uma rede social. O caso da cantora não é o único. Outras piauienses também foram discriminadas por seu peso e circunferência, a chamada 'gordofobia'.

Receber nomes como "baleias", "elefantas" não soam bem para quem os recebe. A modelo Plus Size, Miss Plus Eco Mercosul e Plus Model Brasil 2018, Savianne Aguiar, 36 anos, sofreu com o preconceito da 'gordofobia'. Hoje ela é mãe e construiu uma carreira promissora contornando os comentários maldosos. Para a modelo, a principal sensação diante de uma manifestação de 'gordofobia' é de incompreensão por parte das pessoas.

“Passei por esses comentários maldosos dentro de casa, feitos pela própria família e pelos próprios amigos. Até quando entro numa loja passo isso, até sentar numa cadeira as pessoas já pensam que tenho que sentar em duas. São situações corriqueiras”, relatou.

A piada feita fez com que Bia Magalhães se sentisse horrível. Ela recordou uma pergunta estranha direcionada a ela por uma pessoa no show. “Meninas e meninos todos os dias sofrem com isso, e eu fui mais uma a sofrer pelo meu corpo que não faz parte dos padrões. Ser uma pessoa pública faz com que a gente fique mais suscetível a sofrer isso explicitamente”, desabafou.

Apesar de ter se incomodado com o comentário, Bia continua nos palcos, e para quem se queixa da presença dos gordinhos (as), a cantora deixou um recado aos incomodados. “[…] Vou lutar ainda mais contra pessoas que fazem do corpo dos outros piada. Vai ter gorda, sim, no palco, na praia e em todo lugar. Eu vim para incomodar e mostrar o meu glamour”, disse.

O preconceito por ser gordo incomoda e é considerado uma situação constrangedora. O autor dos relatos preconceituosos pode ser indiciado em processo na Justiça.

 

Processo de combater preconceitos é lento

 

A modelo Savianne Aguiar acredita que combater esse tipo de comportamento é um processo lento para a sociedade. “Eu acredito que esse processo é lento no momento que a gente vive, porém o que muda somos nós, da nossa atitude. Nós (as Plus) estamos nos unindo mais e encontrando mais espaço, e isso nos dá liberdade para nos vestir melhor, por exemplo”.

 

Savianne acredita que a principal lição que uma vítima de 'gordofobia' pode dividir é sobre amor próprio: “Na realidade, a vítima que precisa se amar primeiro, ser feliz. Como eu afirmo, beleza é um estado de espírito. Não faço apologia à gordura, mas quero que as pessoas entendam que a beleza depende do estado de espírito delas e não no número de uma calça, num biquíni maior ou menor por causa de uma estria. Vai em ela ter segurança em saber quem ela é, do seu jeito”, admitiu. (V.P.)

 

Conheça as histórias mais inspiradoras de mulheres como você, que conquistaram seu espaço de trabalho, com muita luta e amor pelo que fazem.